Seja bem-vindo ao InfoCristão, o portal gospel da família brasileira!
quarta-feira , 29 maio 2024
Destaques

Líder da Igreja Ortodoxa Russa declara invasão da Ucrânia uma “guerra santa”

Líder da Igreja Ortodoxa Russa declara invasão da Ucrânia uma “guerra santa”
Patriarca Ortodoxo de Moscou, Kirill, ao lado do presidente da Rússia, Vladimir Putin (Foto: Reprodução/Twitter)

O Conselho Mundial do Povo Russo (WRPC, sigla em inglês), liderado pelo Patriarca da Igreja Ortodoxa Russa, Kirill, rotulou a invasão da Ucrânia pelo Presidente Vladimir Putin como um esforço “santo”, aparentemente com o objetivo de colocar a região sob o domínio russo.

A declaração enquadra a guerra como um momento chave na batalha da Rússia contra o “regime criminoso de Kiev” e o “satanismo” ocidental, chamando-a de uma “operação militar especial”.

O WRPC, embora oficialmente separado da Igreja Ortodoxa Russa, é composto por muitos líderes religiosos e figuras civis.

O decreto , publicado pelo Patriarcado de Moscou, surgiu de um congresso sinodal realizado em 27 de março na Catedral de Cristo Salvador, em Moscou, presidido pelo Patriarca Kirill.

Dirigido aos órgãos legislativos e executivos da Rússia, o documento apresenta a guerra na Ucrânia, que começou em 2022, como uma cruzada espiritual para preservar a unidade da “Santa Rússia”, retratando a Rússia como uma defensora contra a invasão ocidental.

O decreto desenvolve o conceito de “mundo russo”, sublinhando a sua importância espiritual e cultural para além das atuais fronteiras da Rússia. Sugere assimilar os bielorrussos e os ucranianos como subetnias russas. Parece comparar a Trindade com os territórios da Rússia, Ucrânia e Bielorrússia.

Antoine Nivière, professor de civilização russa na Universidade de Lorraine, no nordeste da França, disse ao La Croix International que o documento é mais do que apenas uma declaração; ele “descreve uma espécie de programa político”.

“O seu conteúdo está em total contradição com a doutrina social que a Igreja Russa adotou em 2000, que rejeitou nomeadamente a noção de guerra santa e estipulou que os líderes religiosos deveriam opor-se ao governo se este emitisse ordens contraditórias com os princípios éticos e teológicos do Cristianismo, “, afirmou Niviere. “Com Kirill, nada disso é respeitado.”

O documento defende ainda o asilo na Rússia para aqueles que defendem os valores tradicionais e apela a reformas educativas e humanitárias que reflitam os valores civilizacionais russos.

O Patriarca Kirill, inicialmente hesitante quanto à invasão da Rússia, condenou progressivamente a Ucrânia e o Ocidente, atribuindo um significado espiritual ao conflito. Ele ordenou que as igrejas recitassem uma oração pela Santa Rússia, com o clero não cumpridor enfrentando sanções.

O documento do WRPC alinha-se estreitamente com a posição política de Putin, misturando poder espiritual e temporal. Defende a Rússia como protetora global contra o globalismo ocidental.

O documento promove uma reforma educacional nacionalista, expurgando as ideologias ocidentais e alinhando-se com as políticas educacionais de Putin.

Sarah Riccardi-Swartz, professora assistente de religião e antropologia da Northeastern University, disse que Kirill enquadra a guerra como uma luta metafísica contra a modernidade ocidental, posicionando a Ucrânia como o campo de batalha para este conflito.

A professora disse à publicação universitária Northeastern Global News, que a retórica de Kirill inclui abençoar os esforços militares russos e prometer recompensas espirituais para aqueles que morrem no conflito, o que diverge da doutrina ortodoxa russa tradicional.

Riccardi-Swartz acredita que a narrativa histórica dentro da Ortodoxia Russa vê a Rússia como um defensor espiritual contra o Anticristo, uma crença ligada à canonização do Czar Nicolau II, que é visto como intercedendo pela Rússia no Céu. Esta narrativa apoia a ideia de Moscovo como a terceira Roma, o reduto definitivo da cristandade, observou ela.

Konstantin Malofeev, um empresário proeminente e apoiante separatista pró-Rússia, desempenha um papel fundamental no WRPC como deputado do Patriarca Kirill, de acordo com o EU Today. Seus pontos de vista, refletindo as doutrinas do final do século 19 e início do século 20, defendem uma monarquia absoluta e uma igreja estatal, alinhando-se com a ideologia “Moscou – Terceira Roma”.

A declaração de uma guerra santa justifica e moraliza as ambições imperialistas da Rússia, disse Riccardi-Swartz.

Folha Gospel com informações de The Christian Post


Por: Folha Gospel
Fonte/URL: https://folhagospel.com/lider-da-igreja-ortodoxa-russa-declara-invasao-da-ucrania-uma-guerra-santa/

Artigos Relacionados

Marcha para Jesus reuniu 20 mil pessoas em Paris: “A Europa será salva”

Marcha para Jesus em Paris. (Foto: Instagram/Jean-Luc Trachsel ministries) A Marcha para...

Ex-detento que se converteu na prisão leva centenas de pessoas a Jesus

Ex-detento Holy Gabbana (Foto: Reprodução/Instagram) Um ex-detento que cumpria pena por acusações...

Rodolfo Abrantes denuncia abusos e manipulações na igreja Bola de Neve

Rodolfo Abrantes (Foto: revista Comunhão) Rodolfo Abrantes e sua esposa, Alexandra Abrantes,...