Seja bem-vindo ao InfoCristão, o portal gospel da família brasileira!
segunda-feira , 20 maio 2024
DestaquesInternacional

O número de supostos reféns do Hamas aumenta à medida que o mundo continua a se mobilizar para sua libertação

Um porta-voz das Forças de Defesa de Israel disse que o Hamas mantém 212 reféns, acima da estimativa anterior de 203.

Os reféns foram feitos em 7 de outubro como parte de um ataque surpresa perto da Faixa de Gaza que matou mais de 1.400 israelenses.

“Estamos trabalhando de todas as maneiras para libertar os reféns e trazê-los para casa”, disse o porta-voz das FDI, contra-almirante Daniel Hagari.

Israel contra-atacou o grupo terrorista Hamas, provocando mais violência e vítimas. De acordo com The Hill , cerca de 4.385 palestinos morreram e outras 13.561 pessoas ficaram feridas no conflito.

Mais recentemente, as IDF atacaram túneis onde se escondiam agentes do Hamas e da Jihad Islâmica, locais militares, posições de observação e posições de morteiros e mísseis guiados antitanque.

O Times of Israel  também informou que drones de Gaza e do Líbano foram abatidos graças ao sistema de defesa aérea Iron Dome.

Entretanto, o Hamas libertou as reféns norte-americanas Judith Raanan e a sua filha, Natali Raanan.

Acredita-se que outros dez cidadãos americanos estejam entre os 212 reféns que ainda estão com turistas do Hamas. 

Autoridades disseram que muitos dos reféns podem estar detidos no labirinto de túneis sob Gaza que as tropas israelenses chamam de “metrô de Gaza”.

As autoridades norte-americanas “têm trabalhado sem parar para libertar os cidadãos americanos que foram feitos reféns pelo Hamas e não cessamos os nossos esforços para garantir a libertação daqueles que ainda estão detidos”, disse o presidente Joe Biden na sexta- feira .

Oito alemães também estão entre os reféns, bem como pelo menos sete cidadãos britânicos. A França também disse que faltam cidadãos.

O braço armado do Hamas disse em 16 de outubro que os não-israelenses sequestrados eram “convidados” que seriam libertados “quando as circunstâncias locais permitirem”.

Centenas de manifestantes manifestaram-se na Times Square, em Nova Iorque, na semana passada, para exigir a libertação dos reféns, segurando cartazes que mostravam os rostos das pessoas que se acredita estarem detidas. O evento foi chamado de “Traga-os para casa agora”.

“Na sequência da insondável violência recente em Israel, com o Hamas massacrando mais de 1.300 israelenses e sequestrando outros 200, é hora de iluminar o lado humano desta crise em curso e reunir o apoio internacional”, diz um comunicado do Combate . Movimento Antissemitismo , que liderou o evento.

Artigos Relacionados

Igreja Bola de Neve é acusada de estelionato e exploração de trabalho voluntário

Thiago Santana, Márcio Bieda e Apóstolo Rina (Foto: Reprodução) Em uma live...

Influencer que associou tragédia gaúcha a religiões de matriz africana é denunciada pelo Ministério Público

Influencer Michele Dias Abreu (Imagem: Reprodução Facebook/Instagram O Ministério Público de Minas...

Dezenas de pessoas aceitam Jesus em meio à tragédia no RS

Pastor Lipão no abrigo. (Foto: Reprodução/Instagram/Filipe Duque Estrada) O pastor Filipe Duque...