Seja bem-vindo ao InfoCristão, o portal gospel da família brasileira!
segunda-feira , 20 maio 2024
DestaquesInternacional

Hamas é treinado no Irã antes de ataque a Israel, diz relatório

De acordo com um relatório de quarta-feira no The Wall Street Journal, pelo menos 500 membros do Hamas e de terroristas islâmicos palestinos teriam recebido “treinamento de combate especializado” no Irã semanas antes do outubro. 7 Ataque a Israel.

Como observado no relatório, brigada iraniana. Gen. Esmail Qaani, chefe da Força Quds, participou das atividades de treinamento lideradas pelo Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica do Irã. Durante uma coletiva de imprensa na quarta-feira, o porta-voz da IDF, contra-almirante. Daniel Hagari acusou o Irã de ajudar o Hamas a planejar o ataque.

De acordo com o The Times de Israel, ele observou que o Irã ajudou diretamente o Hamas “antes da guerra, com treinamento, fornecimento de armas, dinheiro e know-how tecnológico”.

“A ajuda iraniana ao Hamas continua na forma de inteligência e incitamento online contra o Estado de Israel”, acrescentou.

Segundo as autoridades israelenses, mais de 1.400 pessoas foram mortas em Israel e mais de 5.400 ficaram feridas desde o ataque terrorista do Hamas em outubro. 7. Enquanto isso, o Ministério da Saúde de Gaza disse que os ataques israelenses mataram pelo menos 7.028 pessoas em Gaza e feriram mais de 18.400.

Na quinta-feira, os militares israelenses enviaram tanques para o norte da Faixa de Gaza, no que é considerado um ataque “direcionado” antes de uma possível incursão terrestre no país devastado pela guerra.

De acordo com o The Washington Post, o ataque é considerado uma “parte dos preparativos para os próximos estágios do combate”. Enquanto isso, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse que Israel estava “se preparando para uma incursão terrestre” de Gaza, embora ele não tenha especificado quando isso ocorreria.

Lynn Hastings, coordenadora humanitária das Nações Unidas para o Território Palestino Ocupado, disse na quinta-feira que, embora Israel tenha alertado os moradores de Gaza para fugir de suas casas em meio à ameaça de ataques, eles não têm para onde ir.

“Para as pessoas que não podem evacuar – porque não têm para onde ir ou são incapazes de se mover – avisos antecipados não fazem diferença”, disse Hastings em um comunicado.

Ela observou que os palestinos no norte e no sul de Gaza não têm acesso às necessidades básicas de sobrevivência e “não tinham garantias de retorno”. Enquanto isso, os palestinos se mudaram para o sul de Gaza após alertas israelenses para que as pessoas se mudem para o sul em busca de abrigo. No entanto, ataques israelenses atingiram o sul de Gaza.

“As pessoas ficam com nada além de escolhas impossíveis”, disse Hastings. “Em nenhum lugar é seguro em Gaza.”

Ela também enfatizou a importância de defender o direito internacional humanitário, que ela disse que “significa que os civis devem ser protegidos e ter o essencial para sobreviver” e “que os reféns – todos os reféns – devem ser libertados, imediata e incondicionalmente”.

Artigos Relacionados

Igreja Bola de Neve é acusada de estelionato e exploração de trabalho voluntário

Thiago Santana, Márcio Bieda e Apóstolo Rina (Foto: Reprodução) Em uma live...

Influencer que associou tragédia gaúcha a religiões de matriz africana é denunciada pelo Ministério Público

Influencer Michele Dias Abreu (Imagem: Reprodução Facebook/Instagram O Ministério Público de Minas...

Dezenas de pessoas aceitam Jesus em meio à tragédia no RS

Pastor Lipão no abrigo. (Foto: Reprodução/Instagram/Filipe Duque Estrada) O pastor Filipe Duque...