Seja bem-vindo ao InfoCristão, o portal gospel da família brasileira!
quinta-feira , 30 maio 2024
Destaques

72% das igrejas nos EUA não têm ministério de casais, mostra pesquisa

72% das igrejas nos EUA não têm ministério de casais, mostra pesquisa
Casamento (Foto: reprodução)

Em seu artigo ‘Por que o casamento é a lacuna ministerial mais urgente na Igreja hoje’, JP De Gance apresenta a urgência na implantação de ministério de casais nas comunidades cristãs.

O autor apresenta como evidência um estudo recente da Gallup, que afirmou: “[A] porcentagem de adultos que declaram frequentar regularmente os cultos permanece baixa. Três em cada 10 americanos dizem que frequentam serviços religiosos todas as semanas (21%) ou quase todas as semanas (9%), enquanto 11% relatam frequentar cerca de uma vez por mês e 56% raramente (25%) ou nunca (31%) comparecem.”

Segundo escreveu De Gance, “o declínio da Igreja nos últimos 40 anos nos EUA apresentou inúmeras explicações apresentadas por especialistas, pastores e líderes religiosos, a maioria das quais estão erradas ou, na melhor das hipóteses, incompletas.”

Fundador e presidente da Communio, um ministério que treina e equipa igrejas para compartilhar o Evangelho através da renovação de relacionamentos saudáveis, casamentos e família, De Gance afirma que a crise de fé que as igrejas e denominações enfrentam em todo o país foi alimentada pelo colapso da família em casa.

“Deixe-me explicar a gravidade do problema. Uma pesquisa da Iniciativa de Pesquisa sobre Casamento e Religião mostra que a maioria dos adultos com menos de 35 anos hoje não foi criada em uma família com pais casados. Em contraste, o Censo dos EUA de 1970 mostra que 40% dos agregados familiares dos EUA eram casados ​​e tinham filhos menores de 18 anos vivendo em casa. Em 2023, esse número caiu para 17,9%.”

Problemas sociais

Ele argumenta que essa trágica falha no casamento alimenta uma série de outros problemas sociais, que vão desde a diminuição da expectativa de vida até a pobreza geracional, o aumento das doenças mentais e a epidemia de solidão.

“O Estudo Nacional sobre Fé e Relacionamentos do nosso ministério descobriu que quatro em cada cinco (80%) daqueles que frequentavam a igreja no domingo cresceram em um lar onde a mãe e o pai permaneceram casados.”

E continua: “No entanto, no meio destas crises, o nosso ministério, Communio, encontrou uma tendência preocupante dentro da igreja local: a extrema necessidade de ver o papel crucial que os casamentos fortes desempenham na saúde da sua igreja e, por extensão, das suas comunidades.”

E conclui De Gance: “O casamento é a lacuna ministerial mais urgente na igreja hoje.”

Ausência de ministério de casais

Uma pesquisa conduzida pela Barna Research, encomendada pelo Communio, revelou que 72% de todas as igrejas dos EUA não têm um ministério de casamento substancial, enquanto 74% não possuem nenhum ministério para recém-casados para auxiliá-los durante os primeiros anos críticos de matrimônio. Além disso, os solteiros também não encontram esse tipo de apoio, já que 93% das igrejas não disponibilizam nenhum ministério para esse grupo de pessoas.

“Esta lacuna no ministério do casamento também inclui pessoas solteiras – ajudando os solteiros a discernir e expressar amor em relacionamentos que podem levar mais frequentemente a um casamento saudável e cheio de fé.”

De Gance diz que para estancar e reverter esta fuga da fé, os líderes da igreja centrados no Evangelho devem ver esta questão como ela é. “Precisamos de um novo caminho e abordagem em direção ao ministério e ao evangelismo que aborde a verdadeira raiz do problema”, afirma.

Mudança de mentalidade

Ele diz que “simplificando, quando se trata de casamento, a igreja americana precisa de uma mudança de mentalidade”. Ou seja, metanoia.

Explicando o que significa metanoia, De Gance recorrer à Bíblia, dizendo que o termo aparece pela primeira vez em Mateus 3:2, é frequentemente traduzido como “arrependimento”, um afastamento do pecado e uma volta para Deus.

“Como crentes, sabemos que seguir Jesus exige que todos nós abracemos a verdadeira metanoia. Esse aspecto de abandonar uma coisa e voltar-se para outra em um nível mais profundo é uma transformação em nossos pensamentos e ações. A Igreja precisa de se afastar dos atuais e ineficazes esforços de evangelização e de transformar os seus ministérios de casamento e relacionamento”, diz.

Choque de fé

De Gance explicou que “vimos repetidamente que quando uma igreja se torna intencional e estratégica em nutrir casamentos fortes, elas veem famílias fortalecidas à medida que ondas de choque de fé surgem através das famílias da igreja, onde o amor de Cristo pelos pais terrenos glorifica nosso Pai Celestial, impactando a próxima geração.”

E diz que o objetivo da Communio é ver essa mudança mental de metanoia nos líderes e membros da igreja, espalhando-se pelas comunidades ao redor das igrejas e atraindo as pessoas para um relacionamento de mudança de vida com Jesus Cristo.

“Através do trabalho próximo do nosso ministério com igrejas em todo o país, identificamos várias barreiras que obstruem esta mudança de mentalidade e encontramos uma solução incrível”, afirma.

“Como crentes, sabemos que o inimigo é real e tem trabalhado arduamente para destruir a fé em Jesus Cristo. Ele causou o maior dano à fé ao desconstruir os ícones salvíficos de Deus da paternidade, do casamento e da sexualidade bíblica”.

Boas notícias

De Gance diz que apesar desse contexto, existem algumas boas notícias.

“O plano de Satanás vai contra a forma como Deus consolidou a humanidade. Todas as melhores ciências mostram que as pessoas são feitas para relacionamentos duradouros. Satanás não pode triunfar sobre uma das primeiras criações de Deus, o instituto sagrado do casamento.”

E questiona: “Então, o que aconteceria se a Igreja se mobilizasse para criar uma revolução de relacionamento centrada em Cristo?”

Respondendo a essa pergunta, De Gance diz:

“Acho que veríamos cada igreja centrada no Evangelho tornar-se um centro evangelizador onde as pessoas desejam entrar e formar relacionamentos saudáveis ​​e que honrem a Deus”.

E explica: “No nível local, veríamos mais pessoas chegando à fé em Jesus, mais casamentos centrados em Cristo se formando e durando, mais casamentos saudáveis ​​prosperando e mais crianças crescendo e se tornando adultos que repetem a obra-prima da ‘família’ ordenada por Deus.”

Fonte: Guia-me com informações de The Christian Post


Por: Folha Gospel
Fonte/URL: https://folhagospel.com/72-das-igrejas-nos-eua-nao-tem-ministerio-de-casais-mostra-pesquisa/

Artigos Relacionados

Justiça ordena transfusão de sangue em bebê sem autorização de pais Testemunhas de Jeová

Martelo e balança, símbolos da justiça A Justiça Estadual da Bahia autorizou...

Marcha para Jesus reuniu 20 mil pessoas em Paris: “A Europa será salva”

Marcha para Jesus em Paris. (Foto: Instagram/Jean-Luc Trachsel ministries) A Marcha para...

Ex-detento que se converteu na prisão leva centenas de pessoas a Jesus

Ex-detento Holy Gabbana (Foto: Reprodução/Instagram) Um ex-detento que cumpria pena por acusações...