Seja bem-vindo ao InfoCristão, o portal gospel da família brasileira!
sexta-feira , 12 julho 2024
Ciência e Tecnologia

Apple, Google e pr0n: é feio, mas se quiser, pode (e pague)

Apple, Google e pr0n: é feio, mas se quiser, pode (e pague)

A internet é para pr0n, já dizia o fidelíssimo retrato da vida adulta real (e de pano) Avenida Q, por mais que Google e principalmente Apple pensem o contrário. Ambas companhias, principalmente a segunda, fazem de tudo para diminuir o acesso a conteúdo educativo no Android e iPhone, com a maçã chegando inclusive a comprar briga com a Playboy, e vencer. Duas vezes.

O fato é que Steve Jobs ODIAVA pr0n, e assim como muitas de suas preferências e regras, esta foi também talhada nas paredes de Cupertino. Exemplos não faltam, desde o que aconteceu com o Tumblr, a todos os canais públicos 18+ do Telegram serem bloqueados por padrão no iPhone e iPad, e não há como contornar isso. Solução? Acesse pelo PC ou Android.

Entenga como quiser (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit) / apple

Entenga como quiser (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

Só que como tudo na vida há casos e casos, e nem todo mundo é tratado igual; plataformas que geram grandes volumes de receita têm certas liberdades, no que as duas maiores privilegiadas hoje são o Reddit e o X, com a rede social de Elon Musk agora permitindo oficialmente material pr0n, graças às mais recentes alterações em seus Termos de Serviço.

Não é preciso ser um gênio para descobrir que legisladores ao redor do mundo não estão nada felizes com isso, e sempre pensando nas criancinhas, tentam forçar Apple e Google a seguirem suas próprias regras, mesmo que isso signifique perder muito dinheiro. Claro, não está dando certo.

To pr0n or not to pr0n…

Não é de hoje que governos tentam controlar o que usuários veem, acessam e consumem, em nome da “moral e bons costumes”, dos EUA à Austrália, e passando pelo Brasil, mais de uma vez. De todos, talvez o Reino Unido é o que possui o conjunto de leis mais rígidas, em que o acesso a pr0n é barrado por padrão, e o usuário maior de idade precisa solicitar o desbloqueio junto à sua operadora, em um ato de absoluta humilhação. Não avisaram o Parlamento britânico, mas divago.

Adicionalmente, o governo de Londres tentou duas vezes forçar sites XXX a implementarem sistemas de checagem de identidade, sob pena de serem bloqueados no país; o primeiro plano, sugerido em 2017, foi abandonado em 2019, e outro foi aprovado em 2023, estando atualmente em vigor.

Entre as grandes companhias de tecnologia, no caso Apple, Google, Microsoft e Meta, que oferecem produtos de consumo e serviços de comunicação/redes sociais ao usuário final, a regra oficial é não permitir a veiculação de pr0n em suas soluções nativas, e especificamente das duas primeiras, que vendem dispositivos móveis, restringir o acesso e compartilhamento de material adulto em apps de terceiros distribuídos em suas respectivas lojas de aplicativos.

Isso, claro, na prática. Tanto Cupertino quanto Mountain View gostam de dinheiro, e quanto mais, melhor, logo, por que restringir redes que contam com um grande fluxo de usuários, e estão dispostos a gastar dentro de ambos, o que se reverte em 30% de comissão para seus cofres? Note que algumas empresas e desenvolvedores, mesmo grandes, não gozam de certas benesses, vide o Telegram, como já mencionamos.

Já o X e o Reddit, por outro lado, vivem sob a confortável sombra das duas companhias, tanto no iPhone e iPad quanto no Android. Afinal, “aos amigos (quem rende muita grana), tudo; aos inimigos (os demais), a Lei”.

Ambas redes já cativaram seu público como redes pr0n-friendly, apesar de ter demorado bastante para o Reddit ter presença mobile oficial. Já o X, mesmo na época do Twitter, nunca implicou com material educativo, e agora, estabeleceu diretrizes para os usuários, parte do pacote de suporte oficial.

As regras são as de sempre, o usuário não pode compartilhar nada explícito no aberto (avatares e banners), quem publica esse tipo de conteúdo deve definir por padrão todas as suas mídias como NSFW, para não prejudicar a experiência de quem escolheu não ver, o que inclui menores de idade, e claro, tudo deve ser consensual. Entram aqui fotos, áudios, vídeos e artes, originais, reproduções, ou material gerado por Inteligência Artificial (IA).

A mudança nas regras do X não veio de graça, a empresa já deixou claro o desejo de seu dono, o bilionário Elon Musk, e de sua CEO, Linda Yaccarino, em estabelecer comunidades NSFW na plataforma, que, embora qualquer um possa participar delas, criar uma nova exige, finja surpresa, uma assinatura do plano Premium.

X agora conta com regras para o compartilhamento de conteúdo pr0n (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

X agora conta com regras para o compartilhamento de conteúdo pr0n (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

O grande problema, legisladores em geral abominam a ideia de que, vejam vocês, existe pr0n na internet, e mesmo que plataformas ofereçam ferramentas de filtro, eles sempre usam o argumento (correto, convenhamos) de que quem quer ver, dá o seu jeito, o que inclui menores de idade. E isso não pode acontecer.

Apple e Google olham para o outro lado

Reddit e X jogam as regras do jogo estabelecidas por Apple e Google, e cumprem as exigências para a filtragem de conteúdo adulto, de modo de quem optou por ocultá-lo, não seja surpreendido com apêndices surpresa, balançado na tela de seu celular. Porém, ambas gigantes são acusadas por políticos e instituições de defesa dos direitos das crianças de, óbvio, ganharem dinheiro com a veiculação do pr0n, contrariando suas diretrizes de combater sua disseminação. As mudanças no Reino Unido são uma das formas de combater a safarnadagem.

Já na Austrália, o eSafety, o órgão regulador para a Segurança na Internet, apontou para o óbvio, acusando Apple e Google de fingirem não ver todo o pr0n principalmente no X e no Reddit, porque quanto mais público, mais gente comprando coisas dentro dos apps, e consequentemente, mais dinheiro pingando em seus próprios caixas. A pressão é consequência de um relatório recente (cuidado, PDF), em que foi constatado que 41% dos adolescentes do país, com idade entre 16 e 18 anos, consomem material educativo na internet, contra 37% dos adultos.

O eSafety acusa ambas gigantes de não aplicarem seus próprios padrões ao X e Reddit, em nome de mais receita, no que no seu entendimento, ambas deveriam  tomar uma atitude dentre duas opções:

  • Endossar o ban ao pr0n dentro de ambos apps, sob pena de remoção do iPhone, iPad e Android, ou…
  • Chutá-los para fora de suas lojas de imediato.

Não obstante, o órgão conclama que tais restrições sejam de alcance global, em uma espécie de força-tarefa de diversos governos, numa cruzada anti-pr0n em diversas plataformas, incluindo games, no que o relatório cita Roblox nominalmente. E sim, a Austrália também prepara uma legislação que, similar ao Reino Unido, implemente verificação de idade em sites e serviços 18+.

É fato que o endosso oficial do X ao pr0n vai irritar ainda mais os legisladores, mas até o momento, nem Musk, nem Steve Huffman, CEO do Reddit, e muito menos Apple e Google, planejam mudar o que está dando certo, financeiramente falando.

Fonte: The Guardian


Por: Ronaldo Gogoni
Fonte/URL: https://meiobit.com/464320/apple-google-pr0n-x-reddit-restrito-mas-se-quiser-pode/

Artigos Relacionados

Sim, está na hora de um Sonic RPG

Desde o lançamento do primeiro jogo, há mais de três décadas, o...

Okami: uma obra de arte (que poderia ter sido melhor)

Sempre que o assunto é a disseminação cultural proporcionada pelos videogames, um...

Paramount aprova fusão com Skydance por US$ 8 bilhões

E parece que a novela finalmente chegou ao fim: a Paramount entrou...

Zenless Zone Zero — mudança de ritmo

Zenless Zone Zero é o mais novo gacha game da miHoYo, a...