Seja bem-vindo ao InfoCristão, o portal gospel da família brasileira!
sexta-feira , 12 julho 2024
Ciência e Tecnologia

Alkahest: quando a esmola é demais…

Alkahest: quando a esmola é demais…

Maquiar imagens de jogos é uma prática antiga, que remonta à época das revistas especializadas e quando os trailers começaram a invadir a internet, a tentativa de mostrar algo muito mais bonito do que realmente receberemos continuou. Então, quando recentemente a Push On anunciou o seu projeto de estreia, muitas pessoas passaram a se perguntar: será que o Alkahest será tão impressionante quanto está parecendo?

Alkahest

Crédito: Divulgação/Push On

Ambientado no que a desenvolvedora descreve como “um mundo medieval obscuro”, Alkahest será um RPG de ação e aventura em primeira pessoa que bebe da fonte de alguns títulos aclamados, como Dishonored e Kingdom Come: Deliverance, mas principalmente, do Dark Messiah of Might & Magic.

Assistindo seu trailer, é fácil perceber como o título produzido pelo Arkane Studios e lançado em 2006 o inspirou. Dos combates a curta distância aos lendários chutes capazes de arremessar os inimigos contra armadilhas nas paredes ou a capacidade de usar o cenário a nosso favor, a sensação é de estarmos vendo o tão desejado Dark Messiah 2.

Já na página do jogo no Steam, há dois trechos que chamaram a minha atenção, são eles:

“Ao invés de mágica, Alkahest conta com alquimia, um complexo e importante sistema de jogo. Siga uma receita ou misture ingredientes obtidos conforme sua vontade. Use as substâncias como um projétil, um óleo para armas, coloque no bolso de um NPC ou beba você mesmo. Em cada cenário, os resultados podem ser imprevisíveis.”

e…

“Nós somos jogadores e acreditamos em qualidade acima de quantidade. Por isso dizemos não para um mapa lotado de missões cansativas. Nós nos esforçamos para criar um mundo semiaberto altamente interativo e convincente, lotado de segredos e aventuras.”

O pessoal da Push On ainda afirma que a aventura será uma mistura de sequências roteirizadas com exploração livre. Eles também falam que apesar da atmosfera de fantasia, o jogo será focado no realismo, recriando como era a Idade Média e o enredo girando em torno da política, dramas pessoais e conflitos entre facções. Por fim, um dos destaques deverá ser como o Alkahest nos permitirá realizar as missões de maneiras variadas.

Mas se nada disso serviu para lhe convencer do quão divertido pode ser esse promissor RPG, deixo aquilo que tem sido alvo de muito elogios, mas também, bastante desconfiança. Seu trailer:

Pois o que fez com que muitas pessoas prestassem atenção na criação da Push On, é também o que acendeu um sinal de alerta na cabeça dos mais céticos. Esse trailer é muito bom, na verdade, ele é bom demais. Será então que o estúdio teria, se não mentido, ao menos exagerado na qualidade que promete entregar?

A jogabilidade funcionar perfeitamente no vídeo divulgado pela empresa já seria um indicativo de que não veremos algo tão fluído, mas nem acho que isso seja um problema. Mostrar trechos coreografados em trailers é uma prática comum e isso não necessariamente significa que a versão final será ruim.

O problema neste caso é que quando tivermos a oportunidade de experimentar o jogo, dificilmente teremos uma experiência tão cinematográfica quanto o que vimos durante a divulgação. Mas repito, isso não quer dizer que o jogo não será divertido, apenas que não nos sentiremos tanto como se estivéssemos vivendo na pele de um herói tão habilidoso quanto aqueles das telonas.

Aquilo que me preocupa mais são as poucas informações sobre a desenvolvedora. Situada no Chipre, a Push On seria formada por pouco mais de 40 funcionários. Relatos garantem que essas pessoas trabalharam na criação de jogos de grande porte, mas também em alguns indie, o que considero pouco para me fazer acreditar cegamente que eles serão capazes de produzir um título tão bom quanto o que foi divulgado nesse primeiro momento.

Alkahest

Crédito: Divulgação/Push On

No Steam, algumas pessoas estão pedindo que o estúdio lance uma demo ou mesmo uma versão beta do Alkahest, justamente para termos certeza de que receberemos algo pelo menos próximo do trailer. Já outras estão duvidando abertamente do vídeo e sobre isso, os criadores emitiram um posicionamento.

“Os recursos do trailer são in-game, mas alguns ângulos de câmera e animações foram criados especificamente para o trailer para aprimorar a experiência visual,” disseram. “Agradecemos o seu interesse no nosso jogo e nos esforçaremos para compartilhar novos materiais o mais rápido possível para que você possa formar sua própria opinião.”

Para alguns, a divulgação desse trailer foi apenas uma maneira de convencer um grande número de pessoas a adicionarem o jogo às suas listas de desejos no Steam, o que consequentemente facilitaria a aquisição de financiadores do projeto. Já para outras, é possível que tudo não passe de uma farsa, com a versão final do Alkahest ficando muito distante desse vídeo e o estúdio conseguindo faturar com uma mentira.

Crédito: Divulgação/Push On

Embora essa segunda parte possa parecer um tanto exagerada, recentemente o mundo viu uma situação parecida com essa, quando a Fntastic conquistou muitos admiradores ao anunciar o MMO The Day Before, mas lançou um título que nada parecia com o material de divulgação. Depois ainda ficamos sabendo dos absurdos cometido durante o desenvolvimento do jogo, o que só ajudou a reforçar o receio de acreditarmos em tudo o que vemos ser anunciado.

Julgar um possível insucesso do Alkahest tendo como base o The Day Before não me parece justo, mas é inevitável não lembrar do fiasco que aquele jogo se mostrou e não temer que o mesmo volte a acontecer.

Com sorte, esse projeto da Push On não será uma grande decepção, conseguindo nos dar a “continuação” do Dark Messiah of Might & Magic que por tanto tempo esperamos. E se isso acontecer, provavelmente estaremos diante de um dos melhores jogos da sua época, um RPG que nasceu da desconfiança e serviu para calar a boca dos descrentes, quando terei o maior prazer em dizer que fui positivamente surpreendido.


Por: Dori Prata
Fonte/URL: https://meiobit.com/464485/alkahest-quando-a-esmola-e-demais/

Artigos Relacionados

Sim, está na hora de um Sonic RPG

Desde o lançamento do primeiro jogo, há mais de três décadas, o...

Okami: uma obra de arte (que poderia ter sido melhor)

Sempre que o assunto é a disseminação cultural proporcionada pelos videogames, um...

Paramount aprova fusão com Skydance por US$ 8 bilhões

E parece que a novela finalmente chegou ao fim: a Paramount entrou...

Zenless Zone Zero — mudança de ritmo

Zenless Zone Zero é o mais novo gacha game da miHoYo, a...