[email protected]

Policial

Foi preso nessa segunda-feira (29), por meio da 6ª Delegacia de Polícia Civil de João Pinheiro o cantor gospel, Obidiel Lucas Ferreira, que foi candidato a vereador nas últimas eleições durante cumprimento de um mandado de prisão temporária, por crimes ligados ao transtorno de pedofilia.

De acordo com as informações polícia, as investigações que ainda estão em curso, aponta que o investigado abordava crianças e adolescentes com menos de 14 anos, via redes sociais, com o intuito de praticar relações sexuais com elas. Arquivos

Uma vítima que na época tinha 13 anos de idade, teria sido abordada pelo investigado no início deste ano por meio de chat do Facebook. Segundo a Polícia Civil, o adolescente foi aliciado por Obidiel Lucas, e os dois chegaram a manter relações sexuais, razão pela qual o ex-candidato é investigado pela prática do crime de estupro de vulnerável.

Ainda de acordo com a polícia, as apurações apontam que o suspeito possuía um padrão para agir. Ele abordava menores sexo masculino, na faixa etária de 12 a 14 anos, utilizando as redes sociais e os convencia a manter relações sexuais. A polícia também cogita que outras possíveis vítimas poderão ser identificadas até o fim das investigações.

Por PatosJá

O traficante Antônio Ilário Ferreira, o Rabicó, chefe do tráfico de drogas no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, está por trás da guerra que vem aterrorizando moradores do Complexo do Anaia. O grupo do criminoso tem agido no local, o qual faz parte o bairro Amendoeira, onde a cantora gospel e missionária Eunice Veiga, de 59 anos, foi morta com um tiro no pescoço dentro de casa no sábado, dia 12. Outras duas pessoas também foram baleadas e até a manhã desta segunda-feira, dia 14, estavam internadas no Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo.

Rabicó quer expandir seus domínios agindo da mesma forma que milicianos. Ele explora gatonet, agride moradores, faz com que eles cozinhem para o bando que já dominou parte do Anaia e que paguem pedágio para entrar na comunidade. Ainda obriga moradores a comprarem produtos roubados, como celulares. No sábado, houve uma tentativa de retomada do local.

— Isso está acontecendo já faz quase duas semanas. O Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) já esteve aqui duas vezes mas não dá jeito. Eu vejo a crueldade o que estão fazendo com os moradores. Eles não são da comunidade e não têm nenhum apego por ninguém. Batem em moradores que não pagam as taxas que eles querem, desligam a internet, obrigam as pessoas a comprarem a “gatonet” deles e até pedágio cobram para entrar na comunidade. Eu não volto mais para lá — contou uma moradora da região, que pediu para não ser identificada pois ainda tem parentes morando no local.

Os filhos de Eunice, entre eles uma jovem de 23 anos que morava com a mãe, abandonaram a região. Na manhã desta segunda-feira, os mais velhos dos cinco filhos foram até a casa, lavaram o chão repleto de sangue, e fecharam a casa.

Outras duas pessoas também foram baleadas no confronto entre traficantes: Antônio José Gomes de Souza, de 40 anos, com um tiro na região lombar, e Gesse Soares dos Santos, de 41 anos, baleado na coxa esquerda. Eles também estavam no Complexo do Anaia.

Por nota, a assessoria de imprensa da Polícia Militar informou que não houve operação policial na região nesse dia.

“No fim da tarde de sábado, equipes do 7° BPM (São Gonçalo) foram acionadas para checar a entrada de uma senhora no Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, atingida por disparo de arma de fogo. Infelizmente, a vítima não resistiu ao ferimento. Informações preliminares dão conta de que ela estava na cozinha de sua residência, no Bairro da Amendoeira, quando o projétil perdido a atingiu. A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí foi acionada para investigar o caso”, diz a nota.

Condenado a 27 anos e três meses de prisão, Rabicó — ou Coroa, como também é chamado — foi solto no fim de 2019 após conseguir uma decisão favorável no Supremo Tribunal Federal. O ministro Marco Aurélio Mello concedeu uma liminar permitindo que o criminoso, de 55 anos, aguarde em liberdade o julgamento do recurso do último processo que o mantinha atrás das grades.

A decisão do ministro é no dia 30 de outubro do ano passado, uma semana antes de o STF decidir contra a prisão após condenação em 2ª instância. Rabicó estava preso há 11 anos e oito meses. Antes de ser solto, ele estava na penitenciária federal de segurança máxima de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Rabicó possui condenação em três processos criminais por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Em nenhuma delas, no entanto, a sentença é considerada definitiva.

Em dois dos processos, a Justiça já havia autorizado que o chefe do tráfico no Salgueiro esperasse o julgamento dos recursos em liberdade. Ele ainda era mantido preso em um último processo, em andamento na 40ª Vara Criminal do Rio, em que foi condenado a 10 anos de prisão. Foi nessa ação que o ministro Marco Aurélio deu decisão favorável a Rabicó. O magistrado argumentou que era grande a possibilidade de o STF mudar seu entendimento sobre a execução provisória da pena, como acabou ocorrendo no dia 7 de novembro daquele ano.

Por Jornal Extra

Entrar

Redefinir sua senha

Newsletter por e-mail